Como lidar com a Bursite

Atualizado em

Já ouviu falar da Bursite? Ela é uma patologia que atinge mais de 150 mil pessoas por ano no Brasil. Hoje trazemos umas dicas para que ela não te incomode mais!

O que é?

 

A Bursite nada mais é do que uma inflamação das bolsas sinoviais (bursas), que atuam diminuindo o atrito entre músculos, tendões e ossos nas articulações.

 

 

(Reprodução/Tua Saúde)

 

 

Por que acontece?

 

Geralmente, ela ocorre devido a movimentos repetitivos frequentes. Sua incidência é maior conforme a idade, porém, há um grande número de casos em jovens a partir dos 19 anos.

 

(Reprodução/GIPHY)

 

 

Será que tenho bursite?

 

As áreas mais afetadas do corpo são os joelhos, ombros, cotovelos e quadris. Diante disso, a patologia apresenta sintomas como dor, inchaço, sensibilidade, vermelhidão e/ou rigidez. Entretanto, a melhor forma para detectar e tratar qualquer doença sempre será através do diagnóstico do médico (nesse caso, ortopedista ou fisioterapeuta) junto aos exames, por isso não hesite em consulta-lo. Normalmente, é realizada uma ultrassonografia para verificar a presença da lesão.

 

(Reprodução/GIPHY)

 

 

Como evitar?

 

Indicamos duas maneiras para reduzir a chance do surgimento da bursite: proteção articular e exercícios físicos. Os alongamentos, por exemplo, são importantes para melhorar a flexibilidade, enquanto a musculação ajuda no fortalecimento da articulação.

 

(Reprodução/GIPHY)

 

 

Cuide-se!

 

Para proteção, compressão e melhora na estabilidade da articulação do ombro, indicamos o uso do Suporte para Ombro Hidrolight, que auxilia na prevenção e alívio da dor e pode ser ajustado de ponta a ponta, conforme sua necessidade. Enquanto para os exercícios físicos, recomendamos nossa linha fitness e fitness premium, que pode ser utilizada durante a prática esportiva para reduzir a chance de contrair essa inflamação.

 

 

 

Recomendações

 

– Não se automedique;

– Deixe a área afetada descansar o máximo possível;

– Procure descobrir as atividades que dispararam o processo inflamatório e evite-as;

– E, por último, vale repetir: consulte um médico.

 

(Reprodução/GIPHY)

 

 

Colaboração

Stella Lima San Martins | Fisioterapeuta – CREFITO 188950